Será mesmo que você não tem tempo?

“Não tenho tempo”.

Não tenho tempo para sair com os amigos.

Não tenho tempo para arrumar minha casa.

Não tenho tempo de praticar exercícios.

Não tenho tempo para brincar com meus filhos.

São muitos os “não tenho tempos” que costumamos escutar ou dar como desculpa.

Mas será que essa é uma desculpa boa o suficiente? Será que se nosso dia tivesse mais horas, estaríamos satisfeitos e teríamos tempo para tudo ou ainda assim estaríamos querendo mais e mais?

Como diria o filósofo Mário Sérgio Cortella, “quando você diz que não tem tempo para algo, é porque aquilo não é prioridade”. E de fato, para uma rotina produtiva e equilibrada, precisamos administrar os recursos que temos e focar nossa energia no que é relevante. A capacidade de gerir e restaurar nossa energia, seguindo planejamento e prioridades conscientemente estabelecidos é fundamental para enfrentarmos a correria do dia-a-dia com qualidade de vida.

Sendo assim, é na nossa energia que devemos focar, e não no nosso tempo. Afinal, se nos alimentamos bem e temos uma boa noite de sono – se renovamos nossas energias – somos muito mais produtivos. E ao sermos mais produtivos, temos mais tempo para resolver o que dizemos “não ter tempo”.

Em primeiro lugar, precisamos aprender a dizer não. Ser produtivo é diferente de ser ocupado. Não podemos querer abraçar o mundo e, apesar de parecer óbvio, na prática, muitas vezes isso acaba sendo bem difícil.

No livro “Essencialismo: a disciplinada busca por menos”, Greg McKeown afirma que quando tentamos fazer e ter tudo, realizamos concessões que nos afastam de nossos objetivos. E, ao realizar tarefas não condizentes com nossos talentos ou assumir compromissos só para agradar aos outros, abrimos mão do nosso poder de escolha. Devemos aprender a reduzir, simplificar e manter o foco em nossos objetivos; isso aumenta nossa produtividade e resultados profissionais e nos faz ganhar tempo para a vida pessoal.

Além disso, devemos praticar o autoconhecimento. E essa, é uma jornada constante mas que além de aumentar a autoconfiança e assertividade no trabalho, traz equilíbrio emocional. Precisamos entender nossa relação com as outras pessoas e com o mundo, encontrar pontos de melhoria sobre nós mesmos, meditar, conversar com mentores, filosofar, ler e escrever. Tudo isso ajuda a conhecer nós mesmos e maximizar nossas energias no que realmente importa.

A meditação, além de ajudar no autoconhecimento, ajuda a acalmar e focar nossa atenção no presente, barrando qualquer distração. Pesquisadores da  da University of British Columbia descobriram que ao meditar, temos um domínio maior sobre nossa mente e por isso, melhoramos nosso foco e nossa capacidade de aprendizado. Resultado: somos mais produtivos.

Aqui no Four, realizamos diversos eventos que promovem o autoconhecimento, além de sessões de meditação, toda quinta-feira, 10h. Entre em contato se quiser saber mais.

Além de tudo isso, para otimizar e renovar a energia, precisamos relaxar. É natural que após horas de trabalho, fiquemos cansados e improdutivos. E você não precisa se sentir culpado se quiser parar para tomar um café, realizar uma caminhada, conversar ou fazer qualquer coisa que te dê prazer. O cérebro consome 20% das calorias, embora represente 2% do total de massa do nosso corpo: essa energia gasta deve ser recuperada.

Por fim, pode parecer óbvio, mas, se você estiver bem com sua vida pessoal, será mais produtivo no trabalho, o que é cientificamente comprovado. De acordo com uma pesquisa da Corporate Executive Board, com 50 mil trabalhadores ao redor do mundo, pessoas que acreditam ter um equilíbrio entre vida pessoal e profissional se dedicam 21% mais ao trabalho, pois sentem mais controle sobre o que ocorre em suas vidas.

Então, tudo o que você precisa fazer é encontrar o seu ritmo, compreender o que agrega valor e vale aquela energia extra, e é claro, parar de dizer “eu não tenho tempo”, pois ao energizar-se fazendo o que lhe dá prazer, você terá!

 

Leave a Comment

Your email address will not be published.